domingo, 14 de setembro de 2008

Até conseguir assinar contrato

Tínhamos marcado Domingo de manhã às 10h para assinar contrato. Levantar cedo para estar lá a horas foi uma verdadeira tortura (a noite anterior tinha sido longa, já que depois de um Benfica-Porto em Camden Town ainda nos esticámos até um bar em Shoredith seguida de uma viagem de autocarro para casa).

Como a Kate estava atrasada e não queríamos perder a casa eu fui sozinha até à casa na hora combinada. Toquei várias vezes e ninguém atendeu, telefonei à pessoa com quem costumávamos falar e não atendeu. Esperei ali meia hora e nenhum sinal de ninguém. Farta de esperar fui encontrar-me com a Kate e a Cris que entretanto já estavam a chegar à estação de metro ali mais próxima. Ficamos sem saber o que pensar até que ao verificar o voice mail a Kate descobriu que tinha uma mensagem do dia anterior, da Nina (a pessoa com quem costumávamos falar e que nos mostrou a casa) a dizer que o senhorio queria o dinheiro todo para assinarmos contrato.

Mais perto da hora do almoço a Nina ligou-nos a dizer que como não respondemos à mensagem do dia anterior calculou que já não estivéssemos interessadas, mas que ainda poderíamos ficar com a casa desde que levássemos o dinheiro todo para assinar contrato. Tínhamos viagem de regresso a Portugal marcada nesse dia. Era mais ou menos 12h e ás 16h tínhamos que estar em Liverpool Station para apanharmos a camioneta para o aeroporto.

Decidimos que queríamos a casa. Eu marquei nova viagem de regresso ao Porto dois dias mais tarde. Combinei com a Nina que iria com o dinheiro todo assinar contrato no dia seguinte.

Uma vez que através de levantamentos de multibanco em 2 dias não conseguíamos todo o dinheiro que era necessário combinamos que Kate mandaria o dinheiro pela Western Union na manhã seguinte.

Nessa noite quase não consegui dormir, com medo de adormecer, com receio de transportar tanto dinheiro comigo ou com medo de ser roubada.

Acordei cedo e fui tomar o pequeno almoço a Oxford Circus enquanto esperava que a Kate me enviasse a confirmação e os códigos para levantar o dinheiro. Tive que esperar até quase as 10h para que as lojas que tinham esse tipo de serviço abrissem. Na primeira disseram-me que não tinham tanto dinheiro disponível, nas duas seguintes disseram-me que não tinham sistema operacional. Finalmente entrei numa farmácia, onde do lado de fora tinha o logo da Western Union e preenchi os formulários, mas quando a senhora que me atendeu estava prestes a dar-me o dinheiro volta para trás e diz-me que o nome do remetente estava errado. Como era possível! Comecei a ficar nervosa, o tempo estava a passar e começava a ver que não iria estar à hora marcada na casa. Liguei para a Kate e ela não me conseguia resolver o problema.

Ela entretanto foi ao banco ver o que se passava e eu fiquei ali na farmácia à espera de novidades. Voltava e meia entravam clientes, ou pessoas com aspecto duvidoso que em troca de uma receita lhes era dada uma medicação que eles tomavam ali mesmo.

Passado bem mais de meia hora a Kate liga-me. Afinal no banco engaram-se e puserem tanto no receptor como no emissor o mesmo nome. Resolvido o o mistério saí dali a voar para a estação do metro. Já tinha ligado ao senhorio e ela disse que esperava, mas já estava mais do que atrasada.

A partir daqui tudo correu com tranquilidade, assinei o contrato e paguei a renda e o depósito. O senhorio ainda me perguntou se eu não estava nervosa por andar na rua com tanto dinheiro! Claro que estava e de que maneira!!!

Sem comentários: